Preso com carga milionária de cocaína, caminhoneiro disse achar que transportava eletrônicos

Ele teria aceitado o transporte de ilícitos por R$ 3 mil

Renata Portela Publicado em 09/03/2022, às 14h31

Droga foi apreendida nos engradados - (Foto: Marcos Tenório, Midiamax)

Caminhoneiro de 65 anos, preso em flagrante pelo transporte de 483,6 quilos de cocaína na tarde de terça-feira (8), alegou não saber que levava a droga no caminhão. Ele relatou que teria sido contratado para levar até São Paulo (SP) um carregamento de eletrônicos.

Segundo relato do caminhoneiro, ele buscou o veículo já abastecido e carregado na empresa e seguiria para a capital paulista. Depois, foi até um posto na BR-163, para reparos elétricos no caminhão, quando foi abordado pelo motorista de uma camionete branca. O homem teria questionado para onde o idoso levaria a carga.

Assim, ofereceu R$ 3 mil para que o caminhoneiro levasse eletrônicos escondidos no carregamento, conforme relatado pelo idoso no interrogatório. Tal homem teria saído do local com o caminhão, por aproximadamente duas horas, retornando com o veículo já abastecido, quando o caminhoneiro seguiu viagem.

Quando retornou para a MS-040, já por volta das 15 horas, foi abordado pela equipe do Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado), que fez a prisão em flagrante. O suspeito ainda tentava evitar a vistoria da carga, mas acabou detido com a grande quantidade de entorpecente.

Conforme relatado pela delegada Ana Cláudia Medina, titular do Dracco, o entorpecente renderia lucro de R$ 60 milhões ao crime organizado se chegasse ao porto de Santos (SP) e fosse exportado para a Europa. A droga estava escondida nos engradados de bebidas e tinha como marca uma pimenta ‘HOT’, identificando a qualidade do entorpecente.

O caminhoneiro foi preso em flagrante pelo tráfico de drogas e deve passar por audiência de custódia na quinta-feira (10).