Defesa terá de explicar compra de 35 mil comprimidos de Viagra às Forças Armadas

De acordo com a Marinha, o medicamento é para o tratamento de pacientes com Hipertensão Arterial Pulmonar

ESTADÃO CONTEÚDO

11/04/2022 18:25

O deputado federal Elias Vaz (PSB/GO) apresentou à Câmara dos Deputados um requerimento para que o ministro da Defesa, General Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, esclareça a compra de 35.320 comprimidos de Viagra para as Forças Armadas.

O parlamentar diz ter identificado, no Portal da Transparência e no Painel de Preços do governo federal, oito pregões homologados em 2020 e 2021 e ainda em vigor neste ano. Nessa linha, argumenta que o requerimento é necessário ‘para a fiscalização econômico-financeira’.

“O governo Bolsonaro está gastando dinheiro público para comprar Viagra e em quantidade tão alta. As unidades de saúde de todo o país, entretanto, enfrentam com frequência falta de medicamentos para atender pacientes com doenças crônicas e as Forças Armadas recebem milhares de comprimidos de Viagra. O Congresso Nacional e a sociedade merecem uma explicação”, registra o parlamentar no documento.

Nos processos de compra, o medicamento é listado como citrato de sildenafila, em dosagens de 25 mg e 50 mg. De acordo com Vaz, 28 320 comprimidos foram comprados para a Marinha. O Exército ficou com 5 mil unidades do medicamento e a Aeronáutica com 2 mil comprimidos.

Ao Estadão, a Marinha afirmou que a compra de sildenafila visa o tratamento de pacientes com Hipertensão Arterial Pulmonar (HAP), ‘uma síndrome clínica e hemodinâmica que resulta no aumento da resistência vascular na pequena circulação, elevando os níveis de pressão na circulação pulmonar’.

Defesa terá de explicar compra de 35 mil comprimidos de Viagra às Forças Armadas - Divulgação

O deputado ainda questiona outras aquisições do Ministério da Defesa, entre elas a compra de mais de 1 milhão de quilos de picanha, filé e salmão entre fevereiro de 2021 e fevereiro de 2022, na gestão de Braga Netto.

“Só de filé mignon são 557,8 mil quilos para atender aos comandos da Marinha, da Aeronáutica e do Exército, além da Indústria de Material Bélico do Brasil. O cardápio ainda incluiria 373,2 mil quilos de picanha e 254 mil quilos de salmão”, diz a equipe do deputado.

COM A PALAVRA, A MARINHA

Os processos licitatórios realizados pela Marinha do Brasil para aquisição de sildenafila de 25 e 50mg visam o tratamento de pacientes com Hipertensão Arterial Pulmonar (HAP), uma síndrome clínica e hemodinâmica que resulta no aumento da resistência vascular na pequena circulação, elevando os níveis de pressão na circulação pulmonar. 

Pode ocorrer associada a uma variedade de condições clínicas subjacentes ou a uma doença que afete exclusivamente a circulação pulmonar. Trata-se de doença grave e progressiva que pode levar à morte. 

A associação de fármacos para a HAP vem sendo pesquisada desde a década de 90, estando ratificado, conforme as últimas diretrizes mundiais (2019), o uso da sildenafila, bem como da tadalafila, com resultados de melhora clínica e funcional do paciente.