Além de viagra, Defesa compra também remédio para calvície

A descoberta foi do deputado federal Elias Vaz, do PSB de GOMaria Eduarda Fernandes| 11/04/2022– 16:36

Ilustrativa

Após a compra polêmica de cerca de 35 mil comprimidos para disfunção erétil, o viagra, o Ministério da Defesa também adquiriu medicamentos para a calvície.

Segundo o jornal Metrópoles, entre 2018 e 2020, foram R$ 2,1 mil para a compra de Minoxidil e Finasterida, substâncias que buscam retardar a perda de cabelo.

As Forças Armadas compraram 35 mil unidades de Viagra entre 2020 e 2021. A descoberta foi do deputado federal Elias Vaz, do PSB de GO, que solicitou informações ao Ministério da Defesa.

Quando procurada, a Defesa disse que a aquisição de sildenafila visa o tratamento de pacientes com Hipertensão Arterial Pulmonar (HAP), mas ainda não se posicionou em relação aos remédios para calvície.