VÍDEO: Moradores flagram suposta onça e medo toma conta de bairro em Campo Grande

Moradores acreditam que onça-parda passou pelo bairro no fim de semana

Fábio Oruê| 25/04/2022- 18:22

Onça teria sido flagrada por moradores (Foto: Reprodução/ Fala Povo/Jornal Midiamax)
Moradores da Vila Bordon, em Campo Grande, estão vivendo clima de apreensão após divulgação de imagens de uma câmera de segurança, que teria flagrado a aparição de uma suposta onça-parda 'passeando' pela região.
De acordo com a moradora da Rua Comandante Elias Ferreira, onde o felino teria sido flagrado atravessando a via, os residentes da vila estão apreensivos, já que há muitas crianças nos arredores.
"Estamos todos com medo. Ela atacou um cachorro na vizinhança. O dono do cachorro atacado começou a olhar pelas casa para ver se alguém tinha câmera", contou ela ao Jornal Midiamax.
Na procura do bicho, uma moradora flagrou o felino ao olhar os arquivos das câmeras de segurança de sua residência. Aos fundos do vídeo também é possível ver a movimentação de alguns outros cães que estariam rondando o suposto felino.
O ataque relatado teria ocorrido na madrugada de domingo (24) e o flagra das câmeras por volta de 00h20, confirmando que um animal teria passado pela área.
Confira as imagens da suposta onça:
Onça ou cachorro?
Pesquisador da ONG Panthera e especialista em felinos, Fernando Tortato garante ao Jornal Midiamax que não se trata de um felino, mas sim de um canídeo - grupo que engloba cães, lobos, raposas e coiotes.
"Na primeira passada de olho já deu para ver que não é onça; só pelo jeito de andar. É algum cachorro pastor, de cor clara. É um cachorro grande, que tem tamanho equivalente a uma onça parda, mas não tem o formato do corpo. A onça-parda é mais alongada com uma calda bem maior e o jeito de andar principalmente é diferente", explica à reportagem.
Segundo Fernando, apesar desse caso não se tratar de um felino, é possível e comum ver onças-pardas na área urbana. "Acontece dessas espécies transitarem no ambiente urbano, principalmente em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, onde tem áreas de Cerrado e Pantanal", relata.
"Na maioria dos casos o animal vai embora da mesma forma que adentrou - por engano - no ambiente urbano. Isso porque não é o ambiente adequado e muitas vezes essas câmeras de segurança acabam pegando essa uma onça passando. Geralmente é próximo a algum parque, a algum rio", cita o especialista.
De acordo com o pesquisador, a população não deve temer caso um felino seja avistado nas redondezas. "Geralmente o animal vai fugir, ele tem medo desses ambientes. Ele vai evitar o contato com seres humanos. O cachorro vai latir, as pessoas vão fazer barulho e eles vão fugir", tranquiliza.