VÍDEO: Mesmo filmado, idoso nega que tenha começado incêndio no Parque dos Poderes

Ele foi identificado e ouvido na delegacia

Renata Portela e Ranziel Oliveira Publicado em 20/08/2021, às 16h27

Idoso foi flagrado nas câmeras de segurança - (Reprodução)

Ouvido pela Polícia Civil, o idoso de 81 anos que é morador no Estrela Dalva negou que tenha começado o incêndio, que devastou 550 mil metros quadrados no Parque dos Poderes, na noite desta quinta-feira (19). A princípio, ele teria algum problema de saúde mental, mas responderá criminalmente se comprovada a autoria do incêndio.

Em coletiva de imprensa no prédio da Acadepol (Academia de Polícia Civil), local onde o incêndio começou na tarde de quinta-feira, o delegado Wilton Vilas Boas, da 3ª Delegacia, relatou que o idoso teria sido visto ateando fogo em dois pontos. Em um local, foi possível ver o idoso nas imagens de câmeras de segurança.

Delegado Wilton Vilas Boas (Foto: Marcos Ermínio)

Neste ponto, que fica a 200 metros da Acadepol, o idoso é visto ateando fogo em uma parte de vegetação, na calçada da rua. Ele sai ainda olhando para trás, verificando o incêndio. Já no outro local filmado, aos fundos da Acadepol, onde teve início o incêndio de grandes proporções, não é possível ver o idoso ateando fogo. No entanto, é identificado que ele está ali, se abaixa e em seguida é possível ver a fumaça subindo.

Para o delegado, tudo indica que o incêndio foi provocado pelo idoso, única pessoa vista ali naquele horário. O trabalho foi dividido em três fases, o rescaldo, a perícia do local e as investigações para apurar a autoria e também as circunstâncias. Após a identificação, o idoso foi levado para a 3ª DP, onde prestou esclarecimentos.

Questionado, ele negou os fatos, mesmo com as filmagens. Ele teria dito que limpava terrenos e que fazia o bem para a comunidade, usando respostas evasivas. É aguardado laudo técnico para imputar a autoria ao suspeito, que pode responder criminalmente e, se condenado, cumprir uma pena de 3 a 6 anos.

O idoso já tem passagens pela polícia e deve ser indiciado pelo incêndio criminoso.

Incêndio incontrolável

O relato ainda na noite de quinta-feira era de que o incêndio no parque era incontrolável. As chamas se alastraram com o vento e também por conta do tempo seco, e tomaram conta de 550 mil metros quadrados de área consumida pelas chamas.

O tamanho da área ainda é uma estimativa inicial e o valor exato ainda é calculado pelo CPA (Centro de Proteção Ambiental) dos bombeiros. As imagens foram obtidas através de mapeamento por drone e, segundo o Corpo de Bombeiros, foram 150 mil litros de água utilizados para controlar o fogo.

Às 11h desta sexta-feira, equipes dos bombeiros continuavam com trabalhos de rescaldo e apagando pequenos focos de calor que reaparecem. O trabalho foi encerrado ainda no fim da manhã, mas outros pequenos focos chegaram a aparecer e são controlados pelos bombeiros.

Com 285 hectares, o Parque dos Poderes é a maior reserva campo-grandense, por isso a ocorrência chamou atenção e logo ganhou repercussão nas redes sociais. O incêndio mobilizou 35 bombeiros, 7 viaturas e consumiu 150 mil litros de água. Os dados foram fornecidos pelo Major Fábio Pereira de Lima, comandante dos trabalhos.

No auge da ocorrência, na noite de quinta, as chamas atingiram 4 metros de altura e a fumaça se espalhou por toda a região do entorno do Parque. As chamas começaram em terreno atrás da Acadepol, mas se espalharam para a área do prédio. Foi o momento mais tenso do combate ao incêndio, pois o fogo ameaçava atingir carros que estavam no estacionamento.