Servidores invadem plenário contra Reforma da Previdência e sessão é suspensa

Intenção é impedir que deputados estaduais votem sem novos debates Por MARESSA MENDONÇA E IZABELA JORNADA invasao-plenario-ar1 Manifestantes chegaram ao plenário gritando para tentar impedir votação - Foto: Álvaro Rezende / Correio do Estado
Servidores públicos de Mato Grosso do Sul se uniram hoje na Assembleia Legislativa em protesto contra a votação da Reforma da Previdência. Eles invadiram o plenário e a sessão acabou suspensa pelo deputado estadual Junior Mochi (PMDB). Reforço da Polícia Militar foi chamado para conter a situação. A Polícia Militar de Trânsito também foi acionada para evitar que os manifestantes estacionem os veículos no local. Os manifestantes chegaram ao plenário gritando para tentar impedir que o projeto fosse votado. O parecer da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) favorável ao Projeto de Lei que altera o regime previdenciário dos servidores públicos do Estado foi aprovado ontem, por 15 votos a quatro, em primeira discussão. O projeto foi aprovado com 24 emendas. Uma delas é a redução da contribuição patronal sugerida pelo Executivo, então 28%, para 25%. Esse aumento também foi indicado para acontecer progressivamente, 24% em 2018 e o restante no ano seguinte. Atualmente a contribuição é de 22%. O aumento da arrecadação de 14% do servidor será mantido e aplicado progressivamente. A ideia inicial era subir de 11% para 14% já em 2018, mas com a emenda esse aumento vai ocorrer aos poucos: 12% no ano que vem, 13% em 2019 e 14% em 2020.
(Álvaro Rezende/Correio do Estado)
  • (Álvaro Rezende/Correio do Estado)
  • (Álvaro Rezende/Correio do Estado)
  • (Álvaro Rezende/Correio do Estado)
  • (Álvaro Rezende/Correio do Estado)