Seis dias sem chuva e Campo Grande já sofre com queimadas urbanas

Mesmo com a chuva do dia 4 de julho, o Corpo de Bombeiros registrou 58 casos nos primeiros nove dias do mês

Geisy Garnes e Clayton Neves
 
Fumaça toma conta de terreno baldio no Itamaraca. (Foto: Kisie Ainoã)
Foram necessários apenas seis dias sem chuva para os incêndios voltarem a incomodar os campo-grandenses. Na tarde desta quarta-feira (10) a vegetação seca serviu de combustível para o fogo se espalhar rapidamente em um terreno baldio da Rua Ivo Osman Miranda, Bairro Moreninha IV, e causar transtorno aos moradores da região.
O incêndio no terreno de 10 mil metros quadrados começou no início desta tarde. Logo a fumaça, o cheiro forte e a fuligem invadiram as casas da região. Bruna Benitez, de 25 anos, relata que foi uma das primeiras a ligar para o Corpo de Bombeiros, mas o fogo acabou antes da chegada dos militares. “Na hora subiu uma fumaça muito alta, não conseguíamos nem chegar perto para apagar, não tinha como”. Bruna conta que sofre de rinite e mesmo uma hora após o fim do incêndio ainda sente a irritação causada pela fumaça. Maria do Carmo de Lima, de 70 anos, e o filho moram em frente ao terreno e afirma que a situação já se tornou comum. “Incomoda muito, a fuligem entra em casa e cheiro dificulta respirar”. Segundo a idosa, o principal problema é a sujeira do terreno. “Jogam muito lixo. Ai queima mato, lixo, tudo junto”, reclama. Para quem vive na região, a solução era a limpeza da área, que segundo eles é particular. Já as causas do incêndio são desconhecidas. “Pode ser a molecada, ou mesmo um cigarro. A vegetação tá muito seca e qualquer faísca vira um incêndio”. Conforme o Corpo de Bombeiros, mesmo com chuva registrada no dia 4 de julho, os nove primeiros dias do mês tiveram 58 casos de incêndio em vegetação atendidos pelos militares em Campo Grande. No mesmo período do ano passado, o número foi de 169. Em todo Mato Grosso do Sul foram registrados 116 atendimentos neste ano e 280 em 2018. Do dia 1º de janeiro a 31 de dezembro do ano passado foram 2393 incêndios em vegetação controlados pelos militares só em Campo Grande e 4608 em todo o Estado.
Incêndio queimou cerca de 40% do terreno. (Foto: Kisie Ainoã)Incêndio queimou cerca de 40% do terreno. (Foto: Kisie Ainoã)