Polícia desmonta acampamento com 15 pessoas e apreende apetrechos ilegais de pesca

Acampamento com vários pescadores que iriam praticar pesca predatória

Diego Alves Publicado em 11/10/2021, às 20h46

Divulgação PMA
A PMA (Polícia Militar Ambiental) desmontou um acampamento com 15 pescadores e apreendeu redes de pesca, tarrafa enterradas e anzóis de galho e boias em rios de Mato Grosso do Sul.
Equipes realizam fiscalização fluvial nos rios Nioaque, Santo Antônio, rio da Prata e Miranda na operação Padroeira do Brasil, nos municípios de Jardim, Bonito, Guia Lopes da Laguna e Nioaque. Neste segunda-feira (11), no início da tarde, uma equipe que fiscaliza o rio Miranda localizou um acampamento com vários pescadores que iriam praticar pesca predatória, em uma região denominada Quinta Corredeira, no município de Jardim.
Quando os Policiais Militares Ambientais avistaram o acampamento, cerca de 15 pessoas que lá estavam correram pela mata, quando perceberam a aproximação da equipe. Os militares atracaram a embarcação, adentraram a mata e realizaram diligências nas imediações, porém, os infratores não foram localizados. No acampamento foram apreendidas duas redes de pesca e uma tarrafa, que estavam enterradas, uma mochila com 12 anzóis de galho (petrechos proibidos), uma mesa e câmara de ar de veículo abandonados pelos pescadores. A câmara de ar é utilizada para armar as redes e anzóis. O acampamento foi desmontado.
Na região próxima, ainda foram retirados do rio e apreendidos mais 27 anzóis de galho, quatro redes de pesca, que os Policiais calculam que os pescadores fugitivos tivessem armado. A fiscalização preventiva efetiva passa pela apreensão e retirada dos rios desses tipos de petrechos com alto poder de captura. A equipe calcula que os infratores tivessem acabado de montar o acampamento e, nessa quantidade de gente e com uso dos petrechos ilegais, poderiam dizimar cardumes.