MS tem recurso garantido para volta dos Festivais de Inverno e da América do Sul em 2022

Com vacinação acelerada, intenção é retomar alguns eventos com público ainda neste ano

Mayara Bueno Publicado em 15/08/2021, às 14h58

Depois de quase dois anos sem festivais que movimentam os setores turístico e cultural de Mato Grosso do Sul, por causa da pandemia de Covid-19, 2022 tem ao menos recursos garantidos para festas como Festival de Inverno de Bonito e Festival América do Sul, que acontece em Corumbá. A informação é do secretário de Cidadania e Cultura do Estado, João César Mattogrosso. 

"Não só os dois festivais, mas outros também, que estamos criando". Outra festividade nova está sendo formatada e pode acontecer ainda neste ano, mas, em fase de discussão, ainda não será revelada. "As coisas estão andando, em dois meses, podemos já ter algum evento presencial ou de forma híbrida", afirma o dirigente.

A vacinação avançada é o principal fator que faz com que a retomada de eventos, um dos principais setores afetados na pandemia, comece a se tornar realidade. Mato Grosso do Sul lidera em vacinação entre os estados no Brasil, assim como Campo Grande, a capital que mais imuniza a população.

Passaporte

Assim como já tem acontecido em alguns lugares do mundo, a ideia de exigir comprovante de vacinação contra Covid-19 para entrada em determinados eventos é, cada vez mais, concreta. De acordo com o secretário, além desta possibilidade, pode haver também opção por exame PCR, negativo para doença. 

"São algumas possibilidades, estamos vendo situações que estão acontecendo no Brasil e mundo, para conseguirmos voltar o mais rápido possível. As pessoas não vão querer estar em lugares que não tenham questão de biossegurança, vão querer segurança para estarem ali".

Retomada

Ainda para retomada do setor, o titular cita pacote anunciado de R$ 80 milhões que asseguram investimentos de 2021 a 2023. Seriam R$ 12 milhões em editais para este e o próximo ano. "Conseguimos garantir o FIC [Fundo de Investimento à Cultura] de 2021, R$ 8 milhões, que ainda será lançado. FIC de 2021 e 2022, já garantindo o de 2023".

Outros R$ 20 milhões seriam para restauração de espaços públicos e culturais, como José Otávio Guizzo, Igrejinha de Ponta Porã, Candelária de Corumbá, Comunidade de Tia Eva, em Campo Grande, entre outros.