Homem que tentou matar militares em frente ao CMO é preso no interior

Willian Parra Gonzales, de 25 anos, foi condenado a 21 de prisão e estava foragido.

Adriano Fernandes
Da esquerda para direita, foto da época em que cometeu o crime e atualmente. (Foto: Divulgação/PolíciaCivil)
Foragido desde que foi condenado a 21 anos de prisão após atirar em dois militares em frente ao CMO (Comando Militar do Oeste) em Campo Grande , Willian Parra Gonzales, de 25 anos, foi preso nesta sexta-feira (12) em Bodoquena, cidade a 266 quilômetros de Campo Grande. À época do crime, que ocorreu em dezembro de 2015, Willian passou atirando em frente ao CMO de moto e atingiu os militares do Exército Jean César Alfredo da Silva, naquela época com 26 anos, e Jordy de Arruda, de 21. Jean foi baleado no pé esquerdo e Jordy na perna, também do lado esquerdo. O acusado fugiu logo em seguida, mas foi encontrado pelo SIG (Serviço de Investigações Gerais) em sua residência na Rua Sinop, Bairro Coronel Antonino. Dentro da casa, a equipe encontrou um revólver calibre 38, 6 munições intactas e uma deflagrada. Ainda dentro do guarda roupas de Willian foram encontradas munições intactas. A motocicleta Honda Titan, roxa, que teria sido usada para cometer o crime também foi apreendida. O jovem era reservista do Exército, mas tinha várias roupas camufladas e inclusive usou uma delas no atentado. Contudo, durante o processo que julgava o caso o acusado se mudou de Campo Grande para Bodoquena, onde foi localizado hoje por investigadores da Polícia Civil da cidade com o apoio da DEH (Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes de Homicídios).