EUA anunciam suspensão de plano que restringia emissão de gases

Agência de Proteção Ambiental dos EUA anunciou que vai acabar com o plano que restringia a emissão de gases das usinas que geram energia.

A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos anunciou, nesta segunda-feira (9), que vai acabar com o plano que restringia a emissão de gases das usinas que geram energia.

O diretor da Agência de Proteção Ambiental disse que a guerra contra o carvão acabou. Scott Pruit quer reanimar a geração de energia elétrica a partir do carvão e do gás natural, um setor que apoiou Donald Trump na campanha. Por isso, na terça-feira (10), ele vai assinar um documento para acabar com o principal plano ambiental do governo anterior.

Em 2015, o governo de Barack Obama lançou o “Plano de Energia Limpa”. O objetivo era fazer com que as usinas que geram energia elétrica a partir do carvão e do gás natural poluíssem menos.

Obama estabeleceu limites para poluição que é jogada no ar pelas chaminés. De todo o dióxido de carbono lançado pelos Estados Unidos na atmosfera, mais de 30% saem de usinas movidas a carvão e gás natural.

A meta do governo anterior era reduzir a emissão de gás carbônico em 32% até 2030, comparando com os níveis de 2005, e incentivar a substituição da energia que polui por energia limpa, que usa os raios solares e os ventos, por exemplo.

Esse plano de Obama era uma das principais ferramentas para os Estados Unidos cumprirem sua parte no Acordo Climático de Paris, adotado em dezembro de 2015 por praticamente todos os países do mundo para tentar conter o aquecimento global. Em junho, Trump anunciou que o país vai sair do acordo de Paris, porque ele atrapalha a criação de empregos nos Estados Unidos.