Emergência do HU tem 42 pacientes acima da capacidade

Caos verificado durante a semana continua nessa sexta-feira

12 ABR 19 - 16h:16TAINÁ JARA
Na manhã de ontem, corredores estavam lotados - Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado
O caos verificado durante esta semana no Pronto Atendimento Médico (PAM) do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap), se mantém nesta sexta-feira. O setor, com capacidade para 18 pacientes, está ocupado por 60 pessoas. Portanto, ultrapassando em mais de 200% o potencial da estrutura de atendimento. Há ainda 13 pacientes aguardando tratamento em ortopedia. Entre os problemas que contribuem para a superlotação é a demora no atendimento das Unidades de Pronto Antedimento (UPAs) administradas pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesau). Com as longas horas de espera, inúmeros pacientes recorrem ao hospital. Reportagem publicada na edição de hoje do Correio do Estado, mostrou que a suspensão de alguns procedimentos pela Santa Casa, ajudou a agravar a situação da unidade. Conforme a Sesau, a ativação dO Hospital do Trauma pode ajudar a aliviar o HU. Atualmente, a contratualização com o HU prevê investimentos mensais de R$ 3,6 milhões. O deficit gira em torno de R$ 500 mil a R$ 1 milhão. Há algum fôlego quando são repassados recursos do Ministério de Educação, já que a unidade funciona como um hospital escola da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. TRAUMA Na semana passada, as secretarias estadual e municipal de Saúde fecharam acordo com a Santa Casa para colocar em funcionamento todos os leitos (100) da Unidade do Trauma. O Ministério da Saúde vai dar R$ 1,1 milhão/ mês, e o Estado, R$ 2 milhões. A medida aguarda a elaboração do contrato e repasse da primeira parcela da verba para ser colocada em prática.