Diante de torcida em Brasília, Fla goleia de novo e vai à semi da Libertadores

Fla finaliza o confronto com o placar agregado de 9 a 2

Agência Estado Publicado em 18/08/2021, às 20h14

Foto: Evaristo Sa/Getty Images

Sem sustos e nem dificuldades, o Flamengo voltou a dominar o Olimpia nesta quarta-feira, com nova goleada, desta vez por 5 a 1, e confirmou sua vaga nas semifinais da Copa Libertadores. A grande performance do time brasileiro contra os paraguaios pôde ser acompanhada por 11.211 torcedores presentes nas arquibancadas do estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Como havia vencido o jogo de ida por 4 a 1, o Fla finaliza o confronto com o placar agregado de 9 a 2, o maior desta edição da Libertadores até agora. O triunfo ampliou a série invicta da equipe carioca na competição. Agora são 15 jogos, ou quase um ano, sem perder. Trata-se da maior invencibilidade do Fla em sua história na Libertadores.

A sequência positiva poderá ter um teste local poderoso na semifinal. O rubro-negro poderá encontrar o rival Fluminense, que encara o Barcelona de Guayaquil, no Equador, nesta quinta. No jogo de ida, no Maracanã, houve empate por 2 a 2.

Como virou rotina na competição, o Fla contou novamente nesta quarta com o faro de gol de Gabriel. Artilheiro da Libertadores, ele balançou as redes duas vezes e chegou aos 10 gols em 10 jogos nesta edição do torneio sul-americano. O atacante superou sua performance de 2019, quando o Fla foi campeão, com 9 gols em 12 jogos.

Com três desfalques na defesa, mas sem poupar titulares apesar da boa vantagem, o Flamengo começou a partida em ritmo lento, quase irreconhecível. Parecia disposto a administrar o resultado construído no jogo de ida, enquanto o Olimpia exibia suas limitações e não conseguia ameaçar o gol de Diego Alves. Os paraguaios perdiam mais tempo tentando provocar os atacantes brasileiros do que tentando criar boas jogadas no ataque.

O jogo foi morno, quase sonolento, até os 29 minutos, quando tudo mudou. O primeiro chute em gol na partida também foi o primeiro gol. Everton Ribeiro descolou belo lançamento para Rodinei, que desfilou com tranquilidade pela lateral direita e cruzou na medida para Gabriel completar para as redes.

No placar agregado, a vantagem carioca aumentava para 5 a 1. Mas o que já era bom se tornou ótimo para os rubro-negros aos 36. Desta vez, quem brilhou foi a dupla formada por Arrascaeta e Bruno Henrique. O uruguaio levantou na área na cabeça do atacante, que cabeceou já na pequena área para aumentar a distância no marcador.

O saldo final do primeiro tempo só não foi melhor para o Flamengo porque a defesa, quase toda reserva, vacilou aos 44 e levou um belo gol marcado por Recalde. Com um drible seco, o atacante do Olimpia deixou no chão tanto Léo Pereira quanto Diego Alves e balançou as redes.

O descuido foi rapidamente compensado no segundo tempo. Logo aos 3, Willian Arão aumentou a contagem em um bate-rebate na pequena área do Olimpia. Cada vez mais perdido em campo, o time paraguaio contribuiu para o quarto gol do Flamengo. Após cobrança de escanteio, Salcedo completou contra as próprias redes.

Ao alcançar o mesmo placar do jogo de ida, Renato Gaúcho fez três rápidas mudanças para poupar titulares aos 12. Sacou Bruno Henrique, Everton Ribeiro e Arrascaeta. Entraram Pedro, Michael e Vitinho. Com as alterações, o Fla desacelerou, mas não deixou de marcar. Aos 31, Gabriel aproveitou assistência de Diego Ribas e marcou seu segundo gol na partida, selando a goleada e a classificação rubro-negra.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 5 x 1 OLIMPIA-PAR

FLAMENGO - Diego Alves; Rodinei (Matheuzinho), Léo Pereira, Bruno Viana e Filipe Luís (Ramon); Willian Arão, Diego Ribas, Arrascaeta (Michael), Everton Ribeiro (Pedro); Gabriel Barbosa e Bruno Henrique (Vitinho). Técnico: Renato Gaúcho.

OLIMPIA-PAR - Alfredo Aguilar; Sergio Otálvaro, Saúl Salcedo, Mateo Gamarra, Iván Torres; Ortiz, Brian Ojeda, Derlis González (Fernando Cardozo), Ramón Sosa (Quintana); Recalde (Camacho) e Roque Santa Cruz (Walter González). Técnico: Enrique Landaida.

GOLS - Gabriel, aos 29, Bruno Henrique, aos 36, e Recalde, aos 44 minutos do primeiro tempo. Willian Arão, aos 3, Salcedo (contra), aos 10, e Gabriel, aos 31 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Sosa, Ojeda, Otálvaro, Vitinho, Gamarra.

ÁRBITRO - Jesús Valenzuela (Venezuela).

RENDA - R$ 2.107.090,00

PÚBLICO - 11.211 presentes.

LOCAL - Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF).