Com previsão de menos doses de vacina, MS ameaça entrar na Justiça contra Ministério da Saúde

Ministério da Saúde anunciou mudança na metodologia de distribuição, priorizando estados em que pessoas acima dos 18 anos ainda não foram vacinadas

Lucas Mamédio Publicado em 18/08/2021, às 15h34

Ministro Queiroga durante coletiva nesta quarta (18) - (Foto: Divulgação)

O anúncio feito pelo Ministério da Saúde de que haverá mudança na metodologia para distribuição de doses da vacina contra covid, com a priorização de estados que ainda patinam na vacinação de pessoas acima dos 18 anos, deve afetar diretamente Mato Grosso do Sul.

Em entrevista coletiva nesta manhã, o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, anunciou que o critério estabelecido para a nova metodologia de distribuição irá obedecer ao número de pessoas acima de 18 anos em cada estado que ainda não recebeu vacinas. Esse número é obtido pela subtração da população total acima de 18 anos pelas doses distribuídas até o momento.

Com isso, Mato Grosso do Sul, que já tem quase 100% de sua população adulta vacinada, deve receber um número bem menor de doses. “Não fizemos o cálculo ainda, mas deve ser (menos doses)”, disse o secretário estadual de saúde, Geraldo Resende.

Ainda segundo o titular da pasta, caso essa previsão se confirme, o Governo deverá entrar na Justiça para exigir o mesmo número de doses que estava recebendo, a exemplo do estado de São Paulo, que questionou o Ministério da Saúde juridicamente e ganhou a causa.

“Essa medida penaliza quem foi eficiente. Se isso acontecer vou levar ao governador e pedir que nós entremos na Justiça”, finaliza Geraldo.

Ainda não há previsão para nova remessa de doses. Mato Grosso do Sul tem 38% da população completamente vacinada, com 2.734.00 doses aplicadas, das quais 2.692.802 em pessoas acima de 18 anos ou grupos prioritários, o que representa pouco mais de 88% deste público.

Aplicação da 3ª dose

A nova determinação do Ministério também pode impactar os planos do Estado em vacinar idosos acima de 60 anos com a terceira dose da vacina contra Covid-19. A aplicação depende de aval do próprio Ministério, que já afirmou que deve liberar a nova etapa para idosos e profissionais da saúde, contudo, data ainda não foi anunciada.

Caso seja aprovada pelo Ministério da Saúde, a aplicação da 3ª dose da vacina em idosos deve se tornar prioridade na campanha de imunização contra o coronavírus em Mato Grosso do Sul. A SES (Secretaria de Estado de Saúde) realizou um estudo sobre o aumento de mortes em idosos e tem defendido a dose de reforço neste público.

Como o Estado iniciou a vacinação dos adolescentes no último fim de semana, a Saúde de MS entende que os idosos devem ser priorizados. Os adolescentes, que atualmente são vacinados com a Pfizer, poderão ser imunizados com Coronavac.