Campo-grandense suspeito de tráfico de animais é multado em R$ 7 mil por cárcere de aves

Policia Militar Ambiental já havia penalizado o suspeito a pouco mais de dois meses, pelo mesmo crime

JUDSON MARINHO

26/02/2022 18:00

Campo-grandense, de 50 anos, foi multado pela segunda vez, em pouco mais de dois meses, por manter cinco aves ilegalmente em cativeiro. O valor da autuação da vez foi de R$ 7 mil.

As espécies encontradas foram: dois coleirinhas, um curió, um canário-da-terra e um Papagaio-verdadeiro.

A Policia Militar Ambiental recebeu denúncias de que o homem é traficante de aves, e na casa do suspeito encontrou os pássaros em sete gaiolas penduradas na parede da casa.

O infrator não estava no momento em sua residência, no bairro Monte Carlo, em Campo Grande, e está foragido até o momento.

Antes disso, no dia 16 de dezembro de 2021, ele também foi autuado em R$ 19 mil por manter 21 pássaros ilegalmente em cativeiro e todos em situação de maus-tratos em várias gaiolas.

Policia Militar Ambiental já havia penalizado o suspeito a pouco mais de dois meses, pelo mesmo crime

JUDSON MARINHO

26/02/2022 18:00

Campo-grandense, de 50 anos, foi multado pela segunda vez, em pouco mais de dois meses, por manter cinco aves ilegalmente em cativeiro. O valor da autuação da vez foi de R$ 7 mil.

As espécies encontradas foram: dois coleirinhas, um curió, um canário-da-terra e um Papagaio-verdadeiro.

A Policia Militar Ambiental recebeu denúncias de que o homem é traficante de aves, e na casa do suspeito encontrou os pássaros em sete gaiolas penduradas na parede da casa.

O infrator não estava no momento em sua residência, no bairro Monte Carlo, em Campo Grande, e está foragido até o momento.

Antes disso, no dia 16 de dezembro de 2021, ele também foi autuado em R$ 19 mil por manter 21 pássaros ilegalmente em cativeiro e todos em situação de maus-tratos em várias gaiolas.

- Policia Militar Ambiental

Os pássaros apreendidos foram encaminhados ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) de Campo Grande, e o suspeito responderá pelo crime ambiental de manter os pássaros silvestres ilegalmente em cativeiro, que tem como pena prevista de seis meses a um ano de detenção.

Na primeira ocorrência, dos 21 pássaros apreendidos, foram encontrados seis canários-da-terra, quatro coleirinhas, dois curiós, dois sabiás-laranjeira, dois sanhaçus-cinzentos, um pássaro-preto, quatro aves consideradas domésticas da espécie canário-belga, e diversas gaiolas. 

Nessa apreensão as aves apresentavam ferimentos de sarna, fungos e outros parasitas devido à falta de cuidados.