Auxílio-taxista pode beneficiar 600 profissionais em Campo Grande

Repasses de até R$1 mil devem ser pagos a partir de 16 de agosto

ALISON SILVA

25/07/2022 16:20

O auxílio-taxista, um dos repasses governamentais aprovados na "Pec-Kamikaze", deve beneficiar 600 motoristas de táxi em Campo Grande, segundo a Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran). De acordo com o Ministério do Trabalho, os repasses podem chegar a R$1 mil por mês e terão as primeiras parcelas pagas já no próximo dia 16 de agosto. Segundo o ministério, caberá a cada prefeitura enviar os dados pessoais dos taxistas para que estes possam receber o benefício já no próximo mês. Conforme a medida, cada município têm até o próximo dia 31 de julho para informar o número de taxistas aptos a receberem o repasse governamental, informações que devem ser encaminhadas ao Ministério da Cidadania. Ao Correio do Estado, a Agetran disse que em Campo Grande o número ainda é incerto, e que a pasta está levantando os dados de cada taxista, uma vez que os cadastros foram iniciados nesta segunda-feira (25). Com as duas primeiras parcelas previstas já para o próximo dia 16, os taxistas poderão receber o auxílio de forma dobrada, ainda que o Ministério do Trabalho não tenha divulgado - até o momento, a forma de repasse para os profissionais. As prefeituras que perderem o prazo inicial de envio das informações, terão até 15 de agosto para repassar os dados dos taxistas, que,  de acordo com o governo federal, devem receber o recurso - também dobrado, no dia 30 de agosto.
De acordo com o Governo Federal, as demais parcelas do repasse - que pode chegar a seis parcelas, devem ser realizadas entre setembro e dezembro deste ano. Segundo o Ministério do Trabalho, a ideia é atender taxistas que estejam com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em dia. O ministério salienta que o envio dos dados por parte das prefeituras têm de ser corretos, para que os prazos de checagem sejam cumpridos corretamente. Segundo o Ministério do Trabalho, o número de parcelas poderá ser ajustado considerando o número de trabalhadores cadastrados ao benefício, bem como o  limite global de recursos, com o valor máximo de R$1mil por parcela.

Proposta

Os benefícios estão dentro da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº1, aprovada no mês passado e que propõe um reajuste em valores de programas sociais de governo, além da  criação de auxílios para caminhoneiros e taxistas. A proposta prevê reajuste de R$200 no Auxílio Brasil, que saltou de R$400 para R$600. Outro repasse a ser melhorado é o aumento de R$53 para R$ 120 do vale-gás, criação do auxílio-caminhoneiro de R$1 mil, além da criação de um auxílio para taxistas, com custos estimados em R$ 2 bilhões. Além dos recursos citados, a PEC prevê gratuidade no transporte público para idosos, além de subsídios para o etanol, recursos que se estendem igualmente até o fim deste ano. O custo de todas as ações é de R$ 41,25 bilhões.