Argentina voltará para o circuito da Fórmula 1 em 2020, diz jornal

Por FOLHAPRESS f1-argentina1 Para voltar a sediar uma prova da F-1, seriam necessários US$ 25 milhões em reformas no autódromo Oscar e Juan Gálvez - Foto: Divulgação O autódromo Oscar e Juan Gálvez, em Buenos Aires, voltará a sediar um grande prêmio da Fórmula em 2020, segundo reportagem publicada pelo diário argentino Clarín neste domingo (25). De acordo com a publicação, integrantes do governo da capital do país estão negociando com executivos da Liberty Media, dona da modalidade do automobilismo, e mais três empresas. O jornal não cita fontes oficiais, mas diz que silenciosamente avança um projeto entre essas partes para que o Grande Prêmio da Argentina seja uma realidade em 2020. A proposta inicial teria sido feita pela mexicana CIE (Corporação Interamericana de Entretenimento), uma das organizadoras do Grande Prêmio do México, que ofereceu a reforma do local e a mediação do contrato com a Fórmula em troca da exploração econômica do evento. Para voltar a sediar uma prova da F-1, seriam necessários US$ 25 milhões em reformas no autódromo Oscar e Juan Gálvez e mais R$ 300 milhões por cinco anos de contrato com a Liberty Media. Os gastos teriam parte coberta pela CIE e parte investida pelo governo da capital em parceria com a empresa que assumisse a promoção da prova. O Clarín afirma que as outras companhias interessadas na negociação são a argentina Fenix Entertaiment Group, que teria firmado "um acordo de prioridade" com o ex-chefe da modalidade, Bernie Ecclestone, e uma sociedade de investidores do país com sul-africanos. Um integrante influente da administração de Buenos Aires teria se reunido para tratar do assunto, há pouco mais de um mês, com o diretor-executivo da Fórmula 1, Chase Carey, que, segundo a reportagem deste domingo, teria dito sucessivas vezes que queria levar a categoria "a uma nova era". Ali, diz a publicação, haveriam sido sinalizados os planos de Buenos Aires voltar à modalidade do automobilismo. Funcionários do governo afirmaram ao jornal, com a condição de não terem a identidade revelada, que o encontro "foi muito positivo" e o desejo de que o Grande Prêmio da Argentina volte acontecer ficou muito claro por parte dos organizadores da F-1. O vice-chefe de governo de Buenos Aires Diego Santilli teria feito referência à reforma do autódromo, de acordo com o Clarín. "Todos sonhamos com voltar a ter a Fórmula algum dia, mas este é processo gradual. Estamos querendo reformar o local e, se tudo der certo, podemos pensar em dar o salto para recuperar o GP da Argentina", ele disse. O país não tem prova na categoria desde 1998. Naquele ano, os organizadores desistiram de realizar a prova devido a dificuldades financeiras. O último vencedor da corrida foi o alemão Michael Schumacher, que conseguiu à época sua nona vitória pela Ferrari.