Após calor de 40ºC, fim de agosto terá maior chuva em meses e temperatura de 12ºC em MS

Frente fria será impulsionada por massa de ar polar que vai trazer friozinho

Gabriel Maymone Publicado em 22/08/2021, às 14h56

Fim da semana terá chuva e friozinho - Arquivo / Midiamax

Com temperaturas na casa dos 40ªCé fácil confundir a estação do ano e pensar que já estamos no verão. Porém, o inverno ainda não acabou e o fim de agosto terá temperaturas amenas e a volta da chuva para parte de Mato Grosso do Sul, segundo a meteorologia.

Dessa forma, a previsão indica mudança no tempo a partir de quinta-feira (26) para a região sul do Estado. A instabilidade chega acompanhada de uma frente fria que será impulsionada por uma massa de ar frio que vai ingressar com acentuado declínio da temperatura.

A MetSul Meteorologia alerta para o maior episódio de chuva em meses. A precipitação é muito esperada, principalmente, na lavoura, que sofre com a estiagem dos últimos meses, além de amenizar a presença das fumaças das queimadas.

Em Ponta Porã, por exemplo, o tempo já começa a mudar na quinta-feira, com possibilidade de chuvas e temperatura mínima em 13ºC. Na sexta, pode amanhecer com termômetros marcando 12ºC, assim como em outras cidades do extremo sul como em Sete Quedas.

O mapa abaixo mostra a projeção de chuva acumulada nesta semana do modelo meteorológico Icon do serviço meteorológico alemão. É possível observar maior acumulado de chuva na região sul de MS.

A imagem mostra possibilidade de chuva com acumulado entre 75mm e 100mm no extremo sul, incluindo Dourados e a região de fronteira que engloba Ponta Porã, Aral Moreira e Amambai.

Já mais na região central, a previsão é de precipitação de 50mm a 75mm na Região de Campo Grande.

Estiagem

A seca atinge a maior parte de Mato Grosso do Sul que sofre com a falta de chuva nos últimos dois meses. Dados do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) mostram que na região norte e nordeste do Estado não chove há mais de 2 meses.

Em Campo Grande, o acumulado registrado nos últimos 60 dias é de apenas 1.8mm. Em Jardim, a precipitação registrada é de 0,4mm. Corumbá, que sofre com incêndios florestais no Pantanal, teve 6mm de chuva em 2 meses, o que favorece a propagação do fogo e da fumaça.

A exceção é Iguatemi, que registrou 59.2mm.

Assim, a chegada de uma área de instabilidade poderá pôr fim ao tempo seco dos últimos meses em MS e trazer o maior período de chuva em meses à região.