Após aumento de casos em aldeias, indígenas receberão novos leitos, médicos e enfermeiros

Serão encaminhados para as aldeias em Aquidauana cinco novos médicos

O aumento no número de casos de coronavírus em Aquidauana, a 143 km de Campo Grande, tem chamado atenção. Atualmente, são 204 indígenas infectados pela doença e, dos 15 óbitos registrados, 11 eram moradores de aldeias. Conforme a SES (Secretaria Estadual de Saúde), os leitos serão montados nesta semana. O Ministério da Saúde encaminhará uma nova equipe para o Município voltada exclusivamente para a saúde dos indígenas. Além disso, a Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena) deverá enviar também nesta semana uma equipe para Aquidauana com cinco médicos, três enfermeiros e sete técnicos de enfermagem. Em contato anterior, a Funai (Fundação Nacional do Índio), disse que desde o início da pandemia tem realizado um trabalho articulado com a Sesai e órgãos públicos locais, como as prefeituras municipais, secretarias municipais de saúde e assistência social. “Desde o início da pandemia, a Fundação já liberou quase R$ 1,8 milhões para ações de proteção às comunidades indígenas da região. Além disso, participa de cerca de 46 barreiras sanitárias em funcionamento no estado, a fim de impedir a entrada de não indígenas nas aldeias”, disse a fundação em nota.