13 lugares para você visitar antes deles sumirem do mapa

Por GUIA DA SEMANA floresta-amazonica Floresta Amazônica está sendo influenciada pelas mudanças climáticas - Foto: Divulgação Lugares incríveis ao redor do planeta estão ameaçados de desaparecerem de uma vez por todas e não tenha dúvida que o ser humano tem tudo a ver com essa tragédia. A explicação para esses sumiços são sempre os mesmos e, se for pensar, uma coisa leva a outra: aquecimento global, poluição, destruição pelo homem e por aí vai. Vamos rezar para que aconteça algum milagre e esses lugares continuem firmes e fortes. De qualquer forma, que tal programar suas próximas viagens seguindo essa lista? Confira: Floresta Amazônica, América do Sul Localizada em 9 países da América do Sul, já faz tempo que a maior floresta tropical do mundo corre sérios perigos. Considerada o pulmão do Planeta Terra, o local sofre diversas depredações e abusos, como desmatamento, extração de recursos naturais e uso indevido do solo (gado, plantações, entre outros). Se continuar nesse ritmo e nada for feito, além de um dos ecossistemas mais ricos do mundo ser extinto, a temperatura do planeta ainda vai aumentar.
Macchu Picchu, no Peru. Foto: Divulgação
Macchu Picchu, Peru A cidade perdida dos Incas, Macchu Picchu, é uma das importantes relíquias desse enorme império pré-colombiano. O conjunto de construções, datados da segunda metade do século 14, apresenta praças, santuários, fontes, torres, tumbas, residências. Tudo em meio às montanhas verdes da cordilheira peruana. Uma das 7 maravilhas do mundo moderno corre risco de desabar devido à localização geográfica, à idade das construções e às décadas de turismo desregrado. Por isso, estipulou-se um limite de 2.500 visitantes por dia e todos cuidados devem ser tomados para não degradar ainda mais esse patrimônio mundial. Galápagos, Equador O arquipélago é um conjunto de treze ilhas a mil quilômetros na costa Pacífica do Equador e, desse conjunto de ilhas, apenas quatro são habitadas. De acordo com a lista da ONU de Patrimônio Mundial, o arquipélago está entre lugares preciosos que estão ameaçados pelo turismo. Bom, numa dessas talvez seja melhor nem ir, né? Parque Nacional Glacier Um dos lugares mais impressionantes do mundo, o Parque Nacional dos Glaciais, na Argentina, também apresenta uma mudança climática grande e a cada ano ele diminui mais e mais de tamanho. Glaciares ou geleiras são massas de gelo que se formam nas regiões mais frias do planeta, transformando a paisagem em um verdadeiro espetáculo. Com o aumento de temperaturas e o aumento das águas dos oceanos, essas camadas de gelo tendem a diminuir com o passar do tempo.
Árvores Baobás, na ilha de Madagascar. Foto: Divulgação
Madagascar, África Oriental Madagascar é uma ilha localizada próxima ao continente africano e que abriga uma grande variedade de árvores e animais. Aquelas árvores lindas chamadas Baobás que são encontradas por lá estão sofrendo fortes ameaças. Tudo porque as florestas da ilha estão sendo destruídas pela exploração madeira. Aliás, a caça também é um grande problema, afetando os lêmures e os outros animais. Que pena! Veneza, Itália Veneza é um dos destinos mais românticos e cobiçados da Itália, parte de seu charme deve-se a sua localização: em meio às águas da Lagoa de Veneza. Por ser uma cidade banhada pelo mar e rodeada por canais, a inundação acontece com frequência. O aumento da maré cresce a cada ano e ninguém sabe ao certo por quanto tempo a cidade mais romântica do mundo ficará acima da água. Bagan, Mianmar Bagan fica localizada em uma região mais árida de Mianmar - o que remete bastante ao sertão brasileiro, se não fossem as incríveis obras imponentes que habitam o local. O Mar de Templos - que chegam até 2 mil (!) - atrai cada vez mais a atenção dos turistas. Devido à idade das construções e a localização geográfica do país (próximo as extremidades da placa tectônica indiana), os Templos de Bagan estão em vulnerabilidade e correm o risco de desmoronar ao longo dos anos.
A "baía onde desceu o dragão, no Vietnã. Foto: Divulgação
Halong Bay, Vietnã O Vietnã possui lugares capazes de fazer qualquer um se apaixonar. Um desses locais é Halong Bay, que, literalmente, significa “baía onde desceu o dragão”. É Patrimônio Mundial da Unesco e situa-se na província de Quàng Ninh. Há muitos anos já se percebe mudanças ecológicas na região devido às vilas de pescadores sobre as águas, à pesca em grandes proporções e, é claro, ao turismo. Para barrar a deterioração desse patrimônio mundial da UNESCO, algumas medidas vêm sendo tomadas pelo governo vietnamita. Taj Mahal, Índia Um dos maiores símbolos de uma história de amor - o Taj Mahal, na Índia - está condenado ao desgaste do tempo. Quem poderia imaginar que o mausoléu de mármore mais conhecido do mundo pode fechar em alguns anos? A poluição do ar está acabando com o prédio e já foram investido mais de R$250 milhões na preservação. A medida, porém, não tem adiantado muito. Mar Morto, Oriente Médio O Mar Morto, no Oriente Médio, recebe esse nome pela quantidade elevada de sal, o que faz com que os corpos boiem ao entrar lá. Acontece que esse ponto turístico está ameaçado, já que suas águas abaixam um metro por ano e, segundo cientistas e pesquisadores, a tendência é só piorar. Se ninguém fizer nada, ele simplesmente vai desaparecer do mapa.
Ilhas Maldivas, no Oceano Índico. Foto: Divulgação
Ilhas Maldivas Quem nunca sonhou em se hospedar nos bangalôs mais famosos do mundo? No Oceano Índico, ao sudoeste do Sri Lanka e da Índia estão as Maldivas, um conjunto de 1.196 ilhas que guardam incríveis resorts 5 estrelas em meio ao oceano. A Ilha Kurumba, que tem a menor nação do mundo, pode ser o primeiro país a ser inundado pela elevação do nível do mar causado pela mudança climática. As praias do país já estão em risco e em breve poderá ser um país inóspito. Grande Barreira de Corais, Argentina Com mais de 1200 quilômetros da costa oriental da Austrália, a Grande Barreira de Corais é considerada uma das maravilhas naturais mais importantes do mundo - tanto visualmente quanto para o planeta. Com o aumento das temperaturas, da poluição, e os constantes ciclones que atingem a barreira, o recife corre risco de ser destruído, alterando permanentemente as condições dos oceanos. Grandes Muralhas da China, China Construída durante dois milênios, a Grande Muralha da China já foi símbolo de proteção do país e hoje é um dos pontos turísticos mais visitados do país, sem mencionar que é uma das Sete Maravilhas do Mundo! Além da erosão natural causada pelo vento, os quase 9 mil quilômetros de extensão tornam o monitoramento extremamente difícil, fazendo de seu maior atributo, uma dificuldade. Sem a possibilidade de fiscalização intensa, o vandalismo e a venda ilegal de tijolos vêm ameaçando a estrutura da muralha.
Vandalismo é uma das ameaças à Muralha da China, que demorou dois milênios para ser construído. Foto: Divulgação